Seus sonhos mais pervertidos
Contos Eróticos

MANDEM SEUS CONTOS PELA ASK E POSTAREI AQUI

Como prometido, aqui vão ficar os contos. (que não são da minha autoria.)

Fiquei muito puto quando meus pais viajaram (um mês fora) e não levaram minha irmãozinha. Deixaram-na e ainda me colocaram toda a responsabilidade de tomar conta da pestinha e providenciar almoço e janta; todos os dias, numa pensão perto de casa. Minha irmã Gilza estava com 13 anos e eu com 18 e estávamos em período de férias escolares… Antes tinha planos pra ficar um mês sozinho em casa e aproveitar o máximo pra fazer tudo que queria; inclusive trazer minha namoradinha (Vera) pra dar uns amassos e quem sabe comer sua bucetinha. Vera (16 anos) só deixava na bundinha. Gilza gostava muito de ficar na casa de uma coleguinha e lhe pedi pra sempre que fosse me avisasse com antecedência pra controlar os pedidos de almoço na pensão. Quando Gilza me falou que ia pra casa da colega no dia seguinte, liguei pra Vera combinando o horário que ela devia chegar na minha casa. Despreocupados ficamos na sala na maior ralação e eu doido pra papar sua bucetinha… Tirei sua blusa e fui chupando seus peitinhos pra deixá-la com bastante tesão… Tirei meu pau duro pra fora e a fiz segurar: - Olha só como ele tá duro Vera, tá doidinho pra entrar na sua bucetinha!… : - Na bucetinha não Sandro! É perigoso! Eu deixo atrás!… Fiquei insistindo e ela negando: - Tá bom Vera! Então vai ser na bundinha mesmo; mas quero com você peladinha!… Pela primeira vez vi minha namoradinha nuazinha em pêlo. Resolvi e também fiquei pelado: - Não tem perigo de a gente ficar assim Sandro?… : - Não! A pentelha da minha irmã sempre fica o dia inteiro na casa da colega dela!… Vera ficou de quatro; mas antes de colocar no cuzinho encostei na sua xoxota e ela tirou da reta: - Já falei que aí não Sandro!… : - Deixa só colocar a cabecinha Vera, quando começar a doer eu tiro!… : - E se eu pedir e você não tirar?… : - Eu prometo pra você que eu tiro!… : - Então tá! Mas vai bem devagar!… Estava prestes a realizar meu sonho quando vi parada nos olhando a filha da puta da minha irmã.

Gilza tinha entrado pela cozinha e chegou tão de mansinho que não percebemos… Vera deu um pulo do sofá começando a ser vestir e eu brochei na hora: - Porra Gilza; você não ia pra casa da sua colega?… Ela com um sorriso de vitória no rosto: - Voltei pra pegar uns CD´s pra gente ouvir!… Fui me vestindo: - Então você ainda vai pra lá?… : - Só vou no meu quarto; vocês podem continuar o que estavam fazendo!… Gilza logo saiu me deixando preocupado por ver um sorriso que não saía do seu rosto. Vera quis ir embora e eu não insisti pra ela ficar; o clima tinha acabado e só ficou a preocupação: - Será que ela vai contar pra alguém?… : - Pode deixar Vera! Depois vou conversar com ela!… Fiquei tenso até ver minha irmã entrar de novo dentro de casa: - Oi minha irmãzinha! Está tudo bem com você?… Ela me encarando e de novo com aquele sorriso: - Comigo está! E com você?… Puxei-a pra sentar no sofá: - Você não vai contar nada do que viu, não é?… : - Hahahaha! Que você estava comendo a sua namorada?… : - É Gilza; mas não cheguei a fazer nada não! Você chegou justamente quando a gente ia começar!… : - Hahahaha! É mesmo? E depois que eu saí?… : - A Vera ficou com medo e quis ir embora!… : - Pode deixar Sandro; vou ficar de bico calado!… Resolvi dar um voto de confiança pra piralha da minha irmã. No dia seguinte já começou as chantagens. Gilza me fez levá-la pra tomar sorvete e passear com ela no shopping. No outro dia, ela me pediu pra levá-la ao cinema… Vendo pela internet a programação nos cinemas: - Vi que hoje não tem nenhum filme permitido pra sua idade; só acima de 16 anos!… : - Pô, que saco! Só posso ver esses filminhos bobos!… : - Você tem vontade de ver filmes pra adultos?… : - É claro que eu tenho; só que prá minha idade só passa filminho sem graça nenhuma!… : - Eu tenho uns filmes em DVD pra adultos; se quiser eu posso deixar você assistir, só não pode contar pra ninguém!… : - Que tipo de filme? Algum romance?… : - Não! É filme de sexo!… Ela arregalou os olhos: - É mesmo? Você deixa? Prometo que não vou falar pra ninguém!… Levei-a pro meu quarto e abrindo a chave o armário onde escondia, escolhi um com estudantes novinhas e bem safadas. Mandei-a deitar na minha cama e colocando o DVD, dei play… Sentei na cama e fiquei aguardando até aparecer o primeiro casal: Uma mulher que se passava por uma estudante novinha e um coroa… Quando ela viu o pau duro do coroa: - Puta que pariu Sandro! Aquela menina não vai agüentar dar pra ele não!… : - Claro que vai! Fica olhando pra você ver!…

Primeiro a menina segurou a enorme piroca e começou a chupar. Quando o velho enfiou a jeba na boceta na menina, Gilza sentou na cama: - Olha! Olha só Leandro, ela parece que está gostando!… O velho socando e Gilza ria da cena. O Velho tirou da boceta e foi abrindo a bundinha da menina… Close no cuzinho e na piroca entrando. Gilza: - Meu Deus, o que ele está fazendo?… : - Ué Gilza; ele está comendo o cuzinho da menina!… Gilza estava impaciente e ficava sem posição sobre a cama; mas não desvia os olhos da TV nem por um segundo. Ela deitou de bruços ao meu lado balançando as perninhas no ar fazendo sua saia subir e deixar a pontinha de sua bundinha aparecer… De pau duríssimo, levei a mão na sua perna. Subi até sua coxa e ela vendo o filme parecia nem se importar… Entrei com a mão por debaixo da saia e fiquei com a mão parada em cima de sua bundinha… Quando ela virou o rosto pra mim, achei que ia levar uma bronca. Gilza sorriu e voltou os olhos pra TV… Levantei mais sua saia e ela continuou na mesma posição… Segurei sua calcinha e puxei um pouco. Gilza levantou um pouco o corpinho pra que a calcinha saísse com mais facilidade… Tirei-a toda e fiquei passando a mão na sua bundinha. Quando encostei minha mão na sua xoxotinha, Gilza empinou a bundinha e abriu um pouco as pernas… Com meu dedo brincando na sua bocetinha, comecei a beijar suas nádegas. Tirei meu pau pra fora e ela percebendo virou o rosto pra olhar… Ela sorriu: - Continua olhando pro filme Gilza!… Subi na cama e debruçado sobre minha irmãozinha comecei a esfregar a pica no meio da sua bundinha. Achei que estava indo longe demais e, com medo de Gilza acabar contando pro nossos pais, saí de cima puxando a bermuda e guardando minha pica… Gilza virou pra mim: - Ué Sandro! Já parou?… : - Parei! Fico com medo de falar depois o que eu fiz com você!… Ela ficou de pé sobre a cama segurando a saia pra cima e mostrando sua bocetinha praticamente toda lisinha: - Você acha que eu vou contar? Não sou tão bobinha como você pensa!… : - Então você quer que eu brinque mais com você?… Ela rindo chegou a boceta bem perto da minha cara: - Olha só como ela tá molhadinha!… Passei a mão sentindo a umidade: - Posso tirar toda sua roupa?… : - Só se você tirar a sua também!… Deixei minha irmãzinha peladinha com seu corpinho em formação: Peitinho que mais pareciam dois morrinhos salientes e bundinha já bem grandinha pra sua idade. Fiquei nú e ela voltou a se deitar de bruços olhando pra TV… Subi sobre ela novamente e fui molhando seu cuzinho com minha saliva. Quando comecei a tentar empurrar meu pau no centro, ela: - Assim dói Sandro! Deixa ficar igual a Vera lá na sala!…

Gilza ficou na posição de cachorrinha e fui colocando na portinha do seu cuzinho. Tive que segurar firme meu pau e empurrar fazendo bastante força pra conseguir fazer meu pau escorregar um pouco pra dentro: - Aaaaaiiiiiii!Aaaaaaiiiiii! Devagar Sandro! Devagar! Ufa, ufa!… Com receio de machucá-la, tirei: - Não precisa tirar seu bobo! Pode continuar que estou gostando!… Voltei e fui empurrando lentamente. Apesar de Gilza soltar vários gritinhos, ela agüentou tudo… Dei algumas socadas e gozei gostoso dentro de seu cuzinho apertadinho. Horas depois; após tomarmos banho, Gilza quis assistir outro filme. Coloquei o filme e fui buscar a nossa janta… Quando a fui chamar no quarto, ela já peladinha: - Vem cá Sandro! Deixa ver seu pinto!… Tirei já endurecendo e ela ajoelhada na cama segurou e muito sem jeito foi colocando na sua boca: - Que isso Gilza?… Ela parou: - No filme elas fazem isso e parece que é muito bom!… Deixei e a danadinha me chupou tão gostoso que acabei gozando um pouco dentro de sua boca. Gilza engasgou e depois, como se tivesse feito uma coisa extraordinária: - Hahahahaha! Eu chupei seu pinto! Hahahahaha!… : - Vamos jantar sua maluquinha!… Estávamos jantando: - Os homens também lambem as xanas das mulheres, você viu?… : - E quer que eu faça igual em você?… : - Se fizer em mim, depois eu deixo você comer a minha xaninha!… : - Não Gilza, isso eu não vou fazer com você!… : - Não vai querer lamber minha xana?… ; Não! Não vou é meter na sua bocetinha; você não vai agüentar!… : - Se agüentei atrás, também vou agüentar na frente!!!!… Fiquei imaginando comendo aquela bocetinha bem mais novinha do que a da Vera… Mas logo tentei tirar aqueles pensamentos maquiavélicos da cabeça. Naquela noite, ela me pediu e acabei chupando sua bocetinha; foi minha primeira vez… Mas logo que comecei a passar a língua na racha, fui gostando do sabor daquele líquido que saía e fui passando e chupando com tanto prazer que acabei fazendo minha irmã ter um orgasmo. Gilza ficou tão feliz de ter sentido o prazer de gozar: - Nossa Sandro! Gozar é bom demais!… Meti novamente na sua bundinha. Assim foi toda a semana… Gilza ficava assistindo filmes pornôs e me chupando e eu chupando sua bocetinha e comendo seu cuzinho… Já nem pensava na bocetinha da minha namorada Vera; estava adorando a da minha irmãzinha, mesmo não comendo. Estávamos peladinhos; só nas sacanagens, e logo que a fiz gozar chupando sua bocetinha, resolvi brincar com o pau na portinha…

Gilza abria os lábios vaginais com os seus próprios dedos e eu ficava passando a cabeça do pau bem no meio vendo sua bocetinha se contraindo: - Enfia Sandro, pode enfiar!… : - Não Gilza! Não posso fazer isso!… : - Só um pouquinho Sandro!… Dei uma empurradinha sentindo a pêle de sua xoxota envolver a cabeça da minha pica: - Mais Sandro, mais um pouquinho!… Fiz um movimento pra frente: - Aiiiii! Tá entrando Sandro! É muito gostoso! Vai mais! Mais!… Perdi o controle e fui com tudo fazendo Gilza soltar um grito estridente… Sabia que tinha acabado de desvirginar minha irmãzinha. O medo de gozar dentro, me fez dar apenas algumas bombadas e tirar pra punhetar e gozar sobre seu corpo: - Caralho Gilza! Você me fez comer a sua boceta!… Ela abanando a xoxota com uma revista: - Puta que pariu; tá ardendo pra cacete!… Olhei: - Tá sangrando um pouco Gilza, acho melhor você lavar!… Ela correu pro banheiro e eu fiquei preocupado por ter tirado o cabaço da minha irmã. Mas, logo voltou segurando uma toalha no meio das pernas e rindo: - Não disse que eu ia agüentar? Agora você não precisa mais ficar com medo de comer a minha xana!… Arrumei com um colega, umas camisinhas; e dois dias depois estava metendo novamente na bocetinha da minha irmã… Gilza, muito mais do que eu; passou a gostar que queria todos os dias.